Capacidades e Fator G das Lavadoras

Capacidade nominal da máquina e Fato G


Capacidade nominal da máquina, é aquela utilizada como referência pela industria fabricante para qualificar o equipamento com relação a sua classe de equipamento ou capacidade prevista de produção, por lote a ser processado ou seja o peso ou volume de peças ou tecidos que se coloca dentro da máquina de lavanderia para cada ciclo de processo.

Bom, relação de carga é a relação entre o volume em litros ou dm3, que possui o cesto interno de um equipamento e a quantidade em kg de peças ou tecidos que serão colocados no equipamento em cada ciclo de processo.

O que ocorre é que para máquinas de lavar existem atualmente 3 relações de carga para máquinas de lavar utilizadas pelos fabricantes:

1 para 10 = uma máquina de lavar de 50kg fabricada com esta relação terá um volume interno livre de 500 litros ou dm3.

1 para 12 = uma máquina de lavar de 50kg fabricada com esta relação terá um volume interno livre de 600 litros ou dm3.

1 para 14 = uma máquina de lavar de 50kg fabricada com esta relação terá um volume interno livre de 700 litros ou dm3.

Sabemos que o que define uma boa ação mecânica de um equipamento de lavar é a queda livre, dentro deste cesto interno, que sofrerão as peças de tecido desta referida carga. Como complemento os cestos internos que tem suas furações estampadas, isto é como uma saliência na borda destes em forma de anel, além da ação de queda propiciam uma ação de esfregação que auxilia também na ação mecânica.

Simplificando, relação de 1:10 é igual a colocar 1 kg de tecido em um balde vazio de 10 litros, 1:12 é colocar i kg de tecido em um balde vazio de 12 litros e 1:14 é colocar 1 kg de tecido em um balde vazio de 14 litros, como a queda só se faz em espaço livre, a relação de carga que propiciar o maior espaço livre, propiciará a melhor ação mecânica.

Para um técnico da empresa de químicos, equilibrar o ciclo de sinner, com a finalidade de se obter o melhor resultado e custo benefício em um processo de lavagem, de acordo com a sujidade e tipo de tecido ele definirá a relação de carga do equipamento conveniente para cada processo.

Por isso muitas vezes nos encontramos com a seguinte situação, o fabricante define para sua máquina de 50kg, que foi comprada como de 50 kg, uma relação de carga de 1:10, e o técnico sabe que para se obter um bom resultado no processo deve-se utilizar uma relação de carga de 1:14, geralmente em roupas se sujidade muito pesada como hospitalar, o que ocorrerá é que este equipamento trabalhará com 35 kg de peças de tecido em cada ciclo e se definir 1:12 este equipamento processará cargas de 41 kg de peças de tecido. Também por este motivo máquinas de 140 = 1400 litros ou dm3, só lavam 100 kg de roupa.

Importante salientar que estas relações de carga são definidas para tecidos secos. Sendo assim quando fora desta classificação devemos utilizar o bom senso.

Outro fator a se considerar é verificar se o fornecedor de produto está lhe fornecendo uma relação de consumo de produto por kg de roupa processada ou pela capacidade nominal do equipamento, se estiver acontecendo isto o custo de produto deve ser ajustado proporcionalmente a carga de roupa efetivamente lavada